quinta-feira, 30 de setembro de 2021

V PRÊMIO AEILIJ de LITERATURA: INSCRIÇÕES ABERTAS! Tire aqui suas dúvidas

 

V PRÊMIO AEILIJ de LITERATURA – 2021/2022


PERGUNTAS FREQUENTES


1. Que autores podem inscrever seus livros no Prêmio AEILIJ de Literatura?

* Autores maiores de 18 anos, que sejam brasileiros, ou que tenham residência no Brasil.


2. Que tipos de livros podem ser inscritos no Prêmio AEILIJ?

* Livros impressos, publicados em primeira edição nos anos de 2020 e 2021, escritos em língua portuguesa, por autores brasileiros/residentes no Brasil; e dedicados a leitores que sejam crianças ou jovens.


3. Quantas obras posso inscrever no prêmio?

* Quantas desejar; não há limite para as inscrições.


4. Qual o custo para inscrever minhas obras no Prêmio AEILIJ?

* A taxa de inscrição é de R$60,00 (sessenta reais) por inscrição.

IMPORTANTE: Caso seja associada(o) da AEILIJ, e esteja em dia com a Anuidade, a inscrição é gratuita.


5. Como fazer o pagamento da taxa de inscrição e comprovar para a AEILIJ?

O pagamento é feito através de depósito na conta da AEILIJ:


Associação de Escritores e Ilustradores de Literatura Infantil e Juvenil 
CNPJ: 03.374.569/0001-05

Conta Bancária: ITAÚ, banco 341

Agência 6370, conta-corrente 43935-5.

CHAVE PIX (CNPJ): 03374569000105 

Após o depósito, inserir o arquivo do comprovante no Formulário On-line; e enviar também uma cópia do comprovante junto aos livros, para o endereço indicado no Edital (veja no item 11).


6. A AEILIJ emite algum recibo de pagamento ao serem feitas as inscrições?

* Sim, podemos emitir um recibo nominal ao autor ou à editora, desde que seja solicitado para a Tesouraria, pelo e-mail:

tesouraria@aeilij.org.br


7. Quais as categorias em que posso inscrever minhas obras para concorrer ao Prêmio AEILIJ?

a) Literatura Infantil (categoria que premia os autores dos melhores livros para crianças);

b) Literatura Juvenil (categoria que premia os autores dos melhores livros para jovens);

c) Adaptação ou Reconto (categoria que premia autores de obras adaptadas ou recontadas de clássicos, mitos, contos populares etc. para crianças ou jovens);

d) Conjunto de Ilustrações (categoria que premia a arte dos autores de imagens nos livros).


8. Como saber se meu livro é infantil ou juvenil, para escolher a categoria?

É difícil dizer exatamente onde termina a Literatura Infantil e começa a Juvenil; muito depende da maturidade do leitor. Para termos um parâmetro, admitimos a classificação dos leitores definida pela Profª Drª Nelly Novaes Coelho em seu livro “Literatura Infantil: teoria, análise e didática” (S. Paulo: Ática, 1993).

Os itens a), b) e c) referem-se aos leitores de obras infantis; itens d) e e) aos de obras juvenis.


a) Pré-leitor: a) primeira infância – dos 15/17 meses aos 3 anos

b) segunda infância – a partir dos 2/3 anos

b) Leitor iniciante – a partir dos 6/7 anos

c) Leitor-em-processo – a partir dos 8/9 anos

d) Leitor fluente – a partir dos 10/11 anos

e) Leitor crítico – a partir dos 12/13 anos


IMPORTANTE: não se pode inscrever uma obra nas duas categorias. Não temos a categoria intermediária ou “infantojuvenil”. Defina para qual público deseja direcionar sua obra e inscreva-a na categoria correspondente (ou infantil, ou juvenil). Também não contemplamos a categoria “Tradução”.


9. Consta no Edital que não se pode inscrever livros com mais de dois autores de texto (coletânea). Posso inscrever livros escritos por vários autores, mas que são obras avulsas e não antologias?

* Se a obra tiver mais de dois autores sob um único ISBN, será considerada coletânea, mesmo que não seja uma “antologia”; não pode ser inscrita. Se a obra tiver um ISBN para cada narrativa e para cada autor, sim, pode inscrever-se, mas deverá haver uma ficha de inscrição para cada autor e será cobrada uma taxa de inscrição para cada autor e obra.


10. Quantos livros devo enviar para participar do concurso?

* Quatro exemplares impressos da obra. Mesmo se inscrita em duas categorias (por exemplo, “Texto Literário Infantil” e “Conjunto de Ilustrações”), não é preciso enviar mais exemplares, somente quatro.


11. Para qual endereço devo enviar os exemplares?

* No envelope de envio deve constar:

AEILIJ – A/C de Nireuda Longobardi

R. Nanuque, 432, apto 42 – Vila Leopoldina

05302-031 – São Paulo – SP


12. Como preencher a Ficha de Inscrição?

A ficha de inscrição encontra-se em um Formulário On-line, no Blog do Prêmio AEILIJ de Literatura: https://premioaeilij.blogspot.com/ e o

link do formulário é https://forms.gle/WwRd3LMENPYeieJk6.


13. Posso realizar a inscrição em papel, em vez de preencher o formulário eletrônico?

Não. Este ano, todas as inscrições devem ser feitas on-line.


14. Ao todo, o que devo enviar no envelope ou caixa para inscrever-me no Prêmio AEILIJ?


  • 4 (quatro) exemplares do livro a ser inscrito

  • Cópia do comprovante de pagamento da Taxa de Inscrição (se não for Associado adimplente AEILIJ).


15. Qual o prazo para as inscrições no Prêmio AEILIJ 2020?

* De 02 de outubro de 2021 a 31 de dezembro de 2021.

Obras que chegarem por transportadora depois de 31 de dezembro de 2021, ou cuja data de postagem nos correios seja posterior a 31 de dezembro, não poderão concorrer.


16. Posso enviar os livros por outros serviços de entregas ou transportadoras, que não os Correios? Ou através dos centros de distribuição das editoras?

* Sim. Porém o que vale nesses casos é a data de recebimento da portaria, registrada em nossa planilha. Obras que chegarem ao local após 31 de dezembro de 2021 não terão a inscrição validada.


17. Sou editor e quero inscrever obras de meus autores. Como saber se eles são ou não associados da AEIIJ, para que tenham gratuidade na taxa de inscrição?

* Antes de fazer a inscrição, confira a lista dos associados em nosso site:

http://www.aeilij.org.br/associados


18. Sou editor. Para inscrever obras de minha editora, sem pagamento da taxa de inscrição, a editora precisa ser associada à AEILIJ, ou apenas os autores?

* Não é preciso a editora ser associada. A editora ou o agente literário pode fazer a inscrição de quaisquer de seus autores de textos e autores de ilustrações. Se o autor for associado, a taxa é gratuita. Se não for (veja item 17), a taxa deverá ser paga.


19. Sou editor e desejo inscrever obras de meu autor/autora mas ele/ela está impossibilitado(a) de enviar ou assinar a ficha (viajando / doente / sem acesso aos correios). A editora, o agente ou um coautor podem fazer sua inscrição?

* Sim! Basta um coautor, ilustrador, agente, editor ou funcionário da editora preencher a inscrição no Formulário on-line, representando a autora ou o autor, e enviar os 4 exemplares (junto a uma cópia do comprovante de pagamento da taxa, caso a pessoa não seja membro da AEILIJ).


20. Podem concorrer livros de autores cujo texto é domínio público?

* Sim, mas apenas nos seguintes casos:

a) Se a ilustração for inédita, concorrendo somente na categoria “conjunto de ilustrações”.

b) Se o texto em domínio público for recontado ou adaptado, concorrendo na categoria “Adaptação ou Reconto”. Meras traduções não serão habilitadas.


21. Podemos inscrever um conjunto ou coleção de livros que são vendidos juntos?

* Somente se todos tiverem o mesmo ISBN e se o autor for o mesmo de todas as obras do conjunto.


22. Posso inscrever e-books (livros eletrônicos)?

* Não. O Prêmio AEILIJ contempla apenas obras impressas tradicionalmente.


sábado, 18 de setembro de 2021

AGUARDEM! Vem aí o V PRÊMIO AEILIJ de LITERATURA!

 Fiquem atentos!


Em 01 de outubro de 2021, divulgaremos o

Regulamento/Edital 

do V Prêmio AEILIJ de Literatura.



quarta-feira, 28 de abril de 2021

IV Prêmio AEILIJ de Literatura - Resenhas: Adaptação ou Reconto

 

IV Prêmio AEILIJ de Literatura

Finalistas em Reconto ou Adaptação

Resenhas de Silvana Salerno


Boi de conchas e outros contos caiçaras

Texto de Janaína Figueiredo, ilustrações de Bruna Lubambo; Sowilo Editora



As histórias de Boi de conchas levam o leitor a vivenciar o imaginário do litoral paulista, com a rede de pesca, a canoa, os ranchos e os folguedos, no simpático linguajar caiçara. Escrito por uma filha do lugar, traz narrativas saborosas e pouco conhecidas, que vem sendo transmitidas oralmente, de geração para geração. As notas contextuais ampliam o texto.

*


Na companhia de Bela: Contos de fadas por autoras dos séculos XVII e XVIII

Texto de Susana Ventura e Cassia Leslie, ilustrações de Roberta Asse; Florear Livros.



Com ilustrações e projeto gráfico muito especial, Na companhia de Bela resgata contos de fadas publicados por escritoras francesas nos anos 1600 e 1700. O livro inova na pesquisa e na autoria feminina, trazendo histórias pouco conhecidas, acompanhadas de ampla contextualização abrangendo os textos e as autoras.

*

Ubuntu e outras histórias africanas - OBRA VENCEDORA

Texto de Celina Bodenmüller e Fabiana Prando, ilustrações de Tainan Rocha; Elo Editora.



Uma filosofia muito especial, dos povos zulu e xhosa, promove a cooperação na comunidade para que cada pessoa alcance a felicidade. Essa filosofia é o ubuntu, que permeia todo este livro de contos africanos. Celina Bodenmüller e Fabiana Prando selecionaram histórias instigantes, como “O caçador e o ratinho” e “O leopardo, a cabra e o inhame”, e sutis, como “Azul e vermelho” e “O homem que nunca mentiu”. É um livro para todas as idades.

*

O romance da raposa

Texto de Odette Larrieu, traduzido e adaptado por Eraldo Miranda, ilustrações de Bill Borges; editora Ciranda Cultural.



Eraldo Miranda foi à origem para adaptar este clássico de aventuras francês que remonta ao século XII. Considerado uma paródia das canções de gesta da Idade Média, o Romance da raposa reflete costumes e inspirações da época. Esperta, hábil e trapaceira, mestra na arte de enganar, a Raposa povoa os doze contos do livro com muito humor.

*

Sagatrissuinorana

Texto de João Luiz Guimarães e ilustrações de Nelson Cruz; Ôzé Editora.



Obra poética que homenageia João Guimarães Rosa, reconta a fábula dos Três Porquinhos transposta para Mariana e Brumadinho durante o rompimento das barragens em Minas Gerais. Munidos do lirismo roseano, os autores registram no texto e na imagem uma severa crítica a duas das maiores tragédias socioambientais do Brasil. Simbolismo e realidade se mesclam para criar uma obra potente, que nos toca com uma realidade tão dura de forma tão bela.

*

terça-feira, 27 de abril de 2021

Resenhas dos Livros Premiados 2021 - Conjunto de Ilustrações

 

IV Prêmio AEILIJ de Literatura

Finalistas em Conjunto de Ilustrações

Resenhas de Othoniel Siqueira, Regina Ruiz e Silvana Salerno


Ela nasceu Clarice

Texto de Ana Rapha Nunes, ilustrações de Ana Laura Alvarenga; Ed. Compor



Uma leitura que começa pelas imagens da capa. A menina Clarice sobrevoa uma cidade iluminada, uma visão noturna de uma noite azulada. Ela traz, atrás de si, um livro com folhas amareladas e, na mão, um lápis. Com essa ilustração, somos convidados a entrar no mundo de Clarice, conhecer a sua trajetória que, em um diálogo profundo e poético com a escrita, nos faz flutuar com a sua paixão por livros, entre personagens e objetos diversos, a cada virada de página. Um universo repleto de traços vibrantes em pinceladas de tons intensos. Palavra e imagem homenageiam Clarice Lispector no seu centenário de nascimento.

*

Obrigado

Texto e ilustrações de André Neves; Ed. Pulo do Gato - OBRA VENCEDORA



Criado por André Neves, Obrigado é uma narrativa poética que reúne poemas verbais e visuais para mergulhar na infância dos poetas que o marcaram em sua trajetória de vida. Imagens líricas, fantasiosas, ternas, desconcertantes, curiosas remetem-nos à essência da vida e obra de cada poeta, filtradas pela lente cuidadosa do autor, que desfila, em uma espécie de galeria, possíveis crianças imaginárias sem que haja qualquer infantilização.

*

Ogros

Texto de Ernani Ssó, ilustrações de Nelson Cruz; editora Aletria



Uma coletânea de cinco histórias que envolvem esses “monstros cheios de dentes”, como diz Ernani Ssó, na Introdução do livro. Encontramos reis, princesas e príncipes convivendo com ogros protagonistas, criaturas enormes, maiores do que os homens, famintos e perversos. Os traços de Nelson Cruz, em tons escuros, propiciam atmosferas sombrias e dialogam com textos que mostram os ogros como criaturas assustadoras, porém não invencíveis.

*

Opa

Texto e Ilustrações de Adilson Farias – Ed. Prosa Nova



Era uma vez um avô muito criativo, que era inventor de várias coisas incríveis. Ele usava um chapéu cheio de lâmpadas acesas, que representavam as coisas que ele criava e lembrava. A netinha adorava ouvir as histórias do avô, a quem ela chamava de Opa (Vô em Alemão). Certo dia ela notou que as lampadinhas do chapéu do Opa começaram a se apagar. E agora, o que será que vai acontecer? Ler Opa é navegar e, ao mesmo tempo, voar em um mundo de palavras e imagens carregadas de memórias, descobertas, esquecimentos, alegrias e tristezas, tudo iluminado com lâmpadas de poesia e amizade, delicadeza e amor.

*

Tempo de navio

Texto de Elaine Pasquali Cavion, ilustrações de Odilon Moraes; editora Aletria.



Delicadas e expressivas, as ilustrações de Odilon Moraes ampliam o lirismo da história. Imagem e texto se amalgamam com precisão, tecendo o simbolismo nas frases e nos desenhos, no texto e na pintura. Encantado, o leitor é transportado para uma viagem muito especial. A paleta de cor foi muito bem escolhida e as ilustrações impressivas fazem a história começar na capa.

*

sábado, 24 de abril de 2021

Resenhas dos Livros Premiados 2021 - Texto Literário Juvenil

 

IV Prêmio AEILIJ de Literatura

Finalistas em Texto Literário Juvenil

Resenhas de Regina Ruiz


A Rainha Perdida

Texto de Ana Cristina Melo; editora Opala / Bambolê



Rei Petrus governa Aghaia, um reino dividido em distritos. Conhecemos os personagens residentes do Distrito Sete, onde todos vivem às custas de muito trabalho. Ellena, a protagonista, é deslocada para a Capital, sendo considerada uma Admitida. Lá, acredita poder encontrar um outro tipo de vida. Uma narrativa que trabalha sentimentos de medo, incertezas e esperança. Após a leitura, colocamos em reflexão nossos próprios conceitos de liberdade.


*

Birman Flint: A maldição do Czar

Texto de Sergio Piunca Rossoni, ilustrações de Karl Felippe; editora AVEC



Sergio P. Rossoni traz uma narrativa com personagens animais que, na verdade, fazem o papel de seres humanos. Birman Flint é um felino repórter empenhado em desvendar o assassinato de um camundongo, um Agente Imperial na Rudânia, local onde a narrativa é ambientada. A investigação acaba conduzindo a uma rede de intrigas que envolvem um Czar, conspirações e seitas perigosas. Entre becos sombrios e palácios, somos envolvidos em uma história de mistério e suspense. Uma trama em que animais antropomórficos nos lembram um pouco a realidade humana, quando envolta em vinganças e inveja. As ilustrações de Karl Fellipe travam um instigante diálogo com a escrita.


*

Epaminondas Goiabeira

Texto de Júlio Emílio Braz, ilustrações de Raquel Matsushita; editora Oficina Raquel



A morte do filho faz o protagonista retornar ao passado, “umas boas cinco dezenas de anos”, em plena época da Gripe Espanhola, quando, a mando do pai, foi viver na casa do tio, na tentativa de fugir da doença. Na nova residência, entre aventuras e proibições da família, ele conhece Epaminondas Goiabeira, um vizinho envolto em mistérios e que acredita estar construindo a Máquina da Felicidade. Tristezas, amizades, decepções percorrem a trama, trazendo à reflexão a pergunta: o que é realmente a felicidade?

*

Ogros

Texto de Ernani Ssó, ilustrações de Nelson Cruz; editora Aletria



Uma coletânea de cinco histórias que envolvem esses “monstros cheios de dentes”, como diz Ernani Ssó, na Introdução do livro. Encontramos reis, princesas e príncipes convivendo com ogros protagonistas, criaturas enormes, maiores do que os homens, famintos e perversos. Os traços de Nelson Cruz, em tons escuros, propiciam atmosferas sombrias e dialogam com textos que mostram os ogros como criaturas assustadoras, porém não invencíveis.


*

Três dias e mais alguns

Texto de Caio Riter, ilustrações de Laerte Silvino; Editora do Brasil



Matias é um adolescente fã de Star Wars. Ele se envolve em uma confusão no colégio e ganha uma suspensão de três dias. Para não decepcionar a mãe, não lhe conta o ocorrido. O fato é que ele acaba vivendo três dias de fortes encontros com suas próprias emoções, envolvendo amigos, família e seu amor pela colega Jaqueline.

*


quarta-feira, 21 de abril de 2021

Resenhas dos livros premiados 2021 - Texto Literário Infantil

IV Prêmio AEILIJ de Literatura

Finalistas em Texto Literário Infantil

Resenhas de Othoniel Siqueira


Eu nem ligo

Texto de Marcia Leite, ilustrações de Jean-Claude Alphen; editora Pulo do Gato



Neste livro, ilustrado por Jean-Claude Alphen, Marcia Leite aborda, com sensibilidade, mas sem disfarces ou meias palavras, a difícil passagem que toda criança enfrenta ao se deparar com um novo papel na vida familiar: tornar-se irmão ou irmã de alguém

*

Essa casa que é só minha

Texto de Claudio Fragata, ilustrações de Simone Mathias; editora Aletria



Assim começa a mágica: uma casa como tantas passa a ser uma casa muito especial. O olhar do menino a colore, ou mais, a inventa. Além de conhecer a história do protagonista que vive um amor não correspondido e refletir sobre o amor a si mesmo, o leitor terá a chance de montar uma “casa” só dele com a capa, contracapa e orelhas do livro. Um livro delicado e muito criativo.

*

Na casa deles

Texto de Edith Chacon, ilustrações de Priscilla Ballarin; edição independente



Esta obra oferece muitas possibilidades de interação e leituras. Por meio do dobrar e desdobrar de cada folha, de cada palavra, o leitor é convidado a brincar e percorrer uma vila poética de casas que despertam no leitor o desejo de ler, revisitar e/ou conhecer tantas outras histórias e autores fantásticos que nos habitam. Um livro-objeto que pode estar na estante de qualquer leitor. É um espaço para conviver, criar, imaginar, sonhar e ser quem somos.

*

Opa

Texto e ilustrações de Adilson Farias; Ed. Prosa Nova - OBRA VENCEDORA



Era uma vez um avô muito criativo, que era inventor de várias coisas incríveis. Ele usava um chapéu cheio de lâmpadas acesas, que representavam as coisas que ele criava e lembrava. A netinha adorava ouvir as histórias do avô, a quem ela chamava de Opa (Vô em Alemão). Certo dia ela notou que as lampadinhas do chapéu do Opa começaram a se apagar. E agora, o que será que vai acontecer? Ler Opa é navegar e, ao mesmo tempo, voar em um mundo de palavras e imagens carregadas de memórias, descobertas, esquecimentos, alegrias e tristezas, tudo iluminado com lâmpadas de poesia e amizade, delicadeza e amor.

*

Passarinhos

Texto de Caroline Carvalho, ilustrações de Ana Sanfelippo; editora Aletria



Você já observou um ninho de passarinhos? Chega um tempo em que os filhotes saem para explorar o mundo à sua volta. É o tempo de enfrentar o medo do desconhecido e partir para as descobertas que os fortalecem. Passarinhos é uma história sobre voos, medos, descobertas e sobre os segredos que só os passarinhos que vivem juntinhos são capazes de entender e compartilhar.

* 

terça-feira, 20 de abril de 2021

Conheça os Jurados do IV Prêmio AEILIJ de Literatura – 2020

Jurados do IV Prêmio AEILIJ de Literatura – 2020


Silvana Salerno

Escritora paulistana de literatura infantil e juvenil, tem 26 livros publicados, um deles no exterior. Recebeu da Fundação Nacional do Livro Infantil e Juvenil (FNLIJ) o prêmio O Melhor Reconto por Viagem pelo Brasil em 52 histórias e vários selos de Altamente Recomendável. Tem obras selecionadas pelo PNBE/MEC, Crescer (Os 30 melhores do ano), PNLD, Minha Biblioteca. Formada em Jornalismo pela ECA/USP, cursou Letras na mesma universidade. Estudou História da Arte em Florença e Mitologia na Grécia. Alia o trabalho de escritora ao de arte-educadora em oficinas de Escrita Criativa. Representante da AEILIJ em São Paulo.




Regina Ruiz

Doutoranda em Letras pela Universidade de São Paulo, na área de Estudos Comparados de Literaturas de Língua Portuguesa e Mestrado pela mesma Universidade. É graduada e licenciada em Letras pela PUC – Pontifícia Universidade Católica de São Paulo. Sua pesquisa aborda temáticas voltadas para a Literatura Infantil e Juvenil. Participa da Revista Literartes (USP) na Comissão de Publicação e na Preparação e Revisão de Textos. É professora de Língua Portuguesa, no Colégio Santo Agostinho, em São Paulo. É membro do Grupo de Pesquisa: Produções Literárias e Culturais para Crianças e Jovens (USP).



Othoniel Siqueira

Ator, produtor, narrador e pedagogo. Prêmio PROAC de Estímulo à leitura em bibliotecas municipais: “Mosaico Literário” (2013) e “Texturas Literárias” (2013/2015). Professor nas instituições: Escola Primeiro Passo, com alunos de Educação Infantil na área de Expressão Teatral e Hora do Conto. Colégio Itatiaia, com alunos de Educação Infantil e Ensino Fundamental I e II, desenvolvendo atividades em conjunto com o programa educacional na área de Expressão Teatral e Hora do Conto. Colégio Marupiara, na área de Expressão Teatral com alunos do Ensino Fundamental I e II e desenvolvimento de projetos interdisciplinares com as áreas de humanas. COLMEIA – Instituição a Serviço da Juventude.