segunda-feira, 12 de outubro de 2020

PERGUNTAS FREQUENTES: Tire suas dúvidas sobre o prêmio AEILIJ 2020!

 PRÊMIO AEILIJ de LITERATURA – 2020

PERGUNTAS FREQUENTES


1. Que autores podem inscrever seus livros no Prêmio AEILIJ de Literatura?

* Autores maiores de 18 anos, que sejam brasileiros, ou que tenham residência no Brasil.


2. Que tipos de livros podem ser inscritos no Prêmio AEILIJ?

* Livros publicados em primeira edição nos anos de 2019 e 2020, escritos em língua portuguesa, por autores brasileiros/residentes no Brasil; e dedicados a leitores que sejam crianças ou jovens.


3. Quantas obras posso inscrever no prêmio?

* Quantas desejar; não há limite para as inscrições.


4. Qual o custo para inscrever minhas obras no Prêmio AEILIJ?

* A taxa de inscrição é de R$60,00 (sessenta reais) por inscrição.

Caso seja associada(o) da AEILIJ, e esteja em dia com a Anuidade, a inscrição é gratuita.


5. Como fazer o pagamento da taxa de inscrição e comprovar para a AEILIJ?

O pagamento é feito através de depósito na conta da AEILIJ:

Associação de Escritores e Ilustradores de Literatura Infantil e Juvenil 

CNPJ: 03.374.569/0001-05 
Conta Bancária: ITAÚ, banco 341,

Agência 6370, conta-corrente 43935-5.

Após o depósito, enviar o comprovante junto com a taxa de inscrição para o endereço indicado no Edital (veja no item 9.).


6. A AEILIJ emite algum recibo de pagamento ao serem feitas as inscrições?

* Sim, emitimos um recibo nominal ao autor ou à editora, desde que seja solicitado para a Tesouraria, pelo e-mail:

tesouraria@aeilij.org.br


7. Quais as categorias em que posso inscrever minhas obras para concorrer ao Prêmio AEILIJ?

a) Literatura Infantil (categoria que premia os autores dos melhores livros para crianças);

b) Literatura Juvenil (categoria que premia os autores dos melhores livros para jovens);

c) Adaptação ou Reconto (categoria que premia autores de obras adaptadas ou recontadas de clássicos, mitos, contos populares etc. para crianças ou jovens);

d) Conjunto de Ilustrações (categoria que premia a arte dos autores de imagens nos livros).


7. Como saber se meu livro é infantil ou juvenil, para escolher a categoria?

É difícil dizer exatamente onde termina a Literatura Infantil e começa a Juvenil; muito depende da maturidade do leitor. Para termos um parâmetro, admitimos a classificação dos leitores definida pela Profª Drª Nelly Novaes Coelho em seu livro “Literatura Infantil: teoria, análise e didática” (S. Paulo: Ática, 1993).

Os itens a), b) e c) referem-se aos leitores de obras infantis; itens d) e e) aos de obras juvenis.


a) Pré-leitor: --- a) primeira infância – dos 15/17 meses aos 3 anos

                --- b) segunda infância – a partir dos 2/3 anos

b) Leitor iniciante – a partir dos 6/7 anos

c) Leitor-em-processo – a partir dos 8/9 anos

d) Leitor fluente – a partir dos 10/11 anos

e) Leitor crítico – a partir dos 12/13 anos


IMPORTANTE: não se pode inscrever uma obra nessas duas categorias. Não temos a categoria intermediária ou “infantojuvenil”. Defina para qual público deseja direcionar sua obra e inscreva-a na categoria correspondente (ou infantil, ou juvenil).


8. Consta no Edital que não se pode inscrever livros com mais de dois autores de texto (coletânea). Posso inscrever livros escritos por vários autores, mas que são obras avulsas e não antologias?

* Se a obra tiver mais de dois autores sob um único ISBN, será considerada coletânea, mesmo que não seja uma “antologia”; não pode ser inscrita. Se a obra tiver um ISBN para cada narrativa e para cada autor, sim, pode inscrever-se, mas deverá haver uma ficha de inscrição para cada autor e será cobrada uma taxa de inscrição para cada autor.


9. Quantos livros devo enviar para participar do concurso?

* Quatro exemplares da obra. Mesmo que seja inscrita em duas categorias (por exemplo, “Texto Literário Infantil” e “Conjunto de Ilustrações”), não é preciso enviar mais exemplares, somente quatro.


10. Para qual endereço devo enviar os exemplares?

* No envelope de envio deve constar:

AEILIJ – A/C de Eliana Martins

R. Guararapes, 469 – apto 132 – Brooklin

04561-000 – São Paulo – SP


11. Como preencher a Ficha de Inscrição?

Você pode imprimir a ficha que vem como Anexo no Edital e preenchê-la a mão; ou pode copiar a mesma e preencher no computador, em um programa de edição de texto.

Os dados a serem preenchidos na Ficha de Inscrição são estes:

                ________________________________________

(Local e Data)

Prezado Curador do PRÊMIO AEILIJ 2020,

Venho por meio desta inscrever o livro__________________________________,


com texto de autoria de____________________________________

e ilustrações de autoria de ______________________________________

editado por ____________________________,


                        no PRÊMIO AEILIJ 2020, na categoria


______________________________________, declarando que estou ciente do

que rege o Edital do referido prêmio.


Contatos do autor:

 E-mail: 

 _________________________________

Telefone Fixo: 

(  ) ______________________________

Telefone Celular: 

(  ) _______________________________


Sem mais para o momento,

__________________________________

Assinatura

(Nome de quem realizou a inscrição)

--------------------------------------------------------


12. Ao todo, o que devo enviar no envelope ou caixa para inscrever-me no Prêmio AEILIJ?

  • 4 (quatro) exemplares do livro a ser inscrito

  • Uma Ficha de Inscrição devidamente preenchida e assinada

  • O comprovante de pagamento da Taxa de Inscrição (se não for Associado AEILIJ)


13. Qual o prazo para as inscrições no Prêmio AEILIJ 2020?

* De 12 de outubro de 2020 a 15 de janeiro de 2021.

Obras que chegarem por transportadora depois de 15 de janeiro, ou cuja data de postagem nos correios seja posterior a15 de janeiro, não poderão concorrer.


14. Posso enviar os livros por outros serviços de entregas ou transportadoras, que não os Correios? Ou através dos centros de distribuição das editoras?

* Sim. Porém o que vale nesses casos é a data de recebimento da portaria, registrada em nossa planilha. Obras que chegarem ao local após 15 de janeiro de 2021 não terão a inscrição validada.


15. Sou editor e quero inscrever obras de meus autores. Como saber se eles são ou não associados da AEIIJ, para que tenham gratuidade na taxa de inscrição?

* Antes de fazer a inscrição, confira a lista dos associados em nosso site:

http://www.aeilij.org.br/associados


16. Sou editor. Para inscrever obras de minha editora, sem pagamento da taxa de inscrição, a editora precisa ser associada à AEILIJ, ou apenas os autores?

* Não precisa. A editora pode fazer a inscrição de quaisquer de seus autores de textos e autores de ilustrações. Se o autor for associado, a taxa é gratuita. Se não for (veja item 15), a taxa deverá ser paga.


17. Sou editor e desejo inscrever obras de meu autor/autora mas ele/ela está impossibilitado(a) de enviar ou assinar a ficha (está viajando / doente / sem acesso aos correios). A editora ou um coautor podem fazer sua inscrição?

* Sim! Basta um coautor, ilustrador, editor ou funcionário da editora assinar a ficha, representando a autora ou o autor, e enviar a ficha junto com os 4 exemplares (e o comprovante de pagamento da taxa, caso a pessoa não seja membro da AEILIJ).


18. Podem concorrer livros de autores cujo texto é domínio público?

* Sim, mas apenas nos seguintes casos:

a) Se a ilustração for inédita, concorrendo somente na categoria “conjunto de ilustrações”.

b) Se o texto em domínio público for recontado ou adaptado, concorrendo na categoria “Adaptação ou Reconto”.


19. Podemos inscrever um conjunto ou coleção de livros que são vendidos juntos?

* Somente se todos tiverem o mesmo ISBN e o autor for o mesmo de todas as obras do conjunto.


sábado, 10 de outubro de 2020

ABERTAS as INSCRIÇÕES para o IV PRÊMIO AEILIJ de LITERATURA!


Todos os autores já podem inscrever-se para a edição 2020 do prêmio AEILIJ!

O Edital encontra-se neste Blog, na página "Regulamento".

Nesta edição há algumas mudanças, como a inserção de uma nova categoria: Adaptação ou Reconto,

Logo divulgaremos um FAQ, respostas às Perguntas Frequentes que nos são feitas sobre o Prêmio.

Sucesso a todos!

DIRETORIA AEILIJ


quarta-feira, 16 de setembro de 2020

Vem aí... A 4ª Ediçao do Prêmio AEILIJ de Literatura!

A quarta edição do Prêmio AEILIJ de Literatura já está sendo preparada com muito cuidado e carinho pela Diretoria!

Seguiremos o seguinte cronograma:

* 10 de outubro de 2020: divulgação do Edital / Regulamento do Prêmio.

* De 12 de outubro de 2020 a 15 de janeiro de 2021: período de inscrições.

* De 20 de janeiro a 20 de março de 2021: análise das obras pelos Jurados.

* 30 de março de 2021: anúncio dos Finalistas.

* 18 de abril de 2021: anúncio dos Vencedores. 

NOVIDADE! Este ano teremos uma nova categoria: Adaptação ou Reconto. Se você adaptou ou recontou clássicos, contos maravilhosos, mitos ou histórias populares para crianças e jovens, com data de publicação de 2019 ou 2020, não deixe de inscrever-se nessa categoria!



quinta-feira, 21 de maio de 2020

Conheça o JÚRI do PRÊMIO AEILIJ 2019!


PRÊMIO AEILIJ DE LITERATURA 2019 – Nosso Júri

O Prêmio AEILIJ de Literatura 2019 contou com um time fantástico no Júri! Foram mais de 170 obras inscritas, lidas por todos. Após as leituras houve os debates, muito ricos, até que se chegou a um consenso sobre os finalistas e os vencedores.
Acompanhe os depoimentos de nossas juradas, e conheça um pouco de sua trajetória!

* Ana Célia Goda Leitora crítica, autora e editora
Graduação e licenciatura em Letras pela PUC-SP. Pós-graduação em Administração e Organização de Eventos pelo SENAC/SP e Pós-graduação em Formação de Escritor pelo Instituto Vera Cruz. Foi editora-assistente e revisora do Círculo do Livro e editora e gerente editorial na Ed. Melhoramentos por 17 anos. Presta serviços profissionais de leitura crítica, edição, redação e criação de projetos pedagógicos.

Foto: Arquivo pessoal

Recebi com alegria e gratidão o convite para ser jurada do prêmio AEILIJ.
Tenho profundo amor e respeito pela literatura infantojuvenil, pois sei, de experiência própria, como essa arte literária encantadora é capaz de ampliar o universo infantil que a criança e o jovem conhecem, e como essa “conversa” com outros mundos e com outros seres, mágicos ou não, é um ótimo caminho para se formar leitores e cidadãos conscientes, ativos e generosos. Sem falar na quantidade de amigos que os livros me deram – escritores, ilustradores, editores, tradutores, fotógrafos, designers, produtores gráficos, revisores, pessoal do administrativo e do financeiro, do estoque etc. – nos mais de trinta anos de trabalho entre os livros.
O volume de livros foi grande – um bom sinal para um prêmio tão jovem! – e a troca de ideias com as outras juradas foi muito gostosa. Tive enorme prazer em manusear e em ler a produção literária do ciclo anterior, que contou com conceituados autores, uma ótima safra de ilustradores e também com novas editoras e vozes.
Terminado o processo de avaliação, já em plena pandemia, separei um lote de livros para minhas pesquisas como prestadora de serviços editoriais (minha fonte de renda), e com todos os demais fiz com que eles seguissem sua vocação: circular!
Uma parte deles doei aos filhos e netos de cada um dos funcionários do meu prédio, para que suas crianças se divertissem durante a quarentena, aproximando-me deles; com outra parte formei uma biblioteca básica para os pequenos moradores usufruírem quando a sala kids reabrir, e outros títulos, pouco a pouco, estão ganhando a rua, quando descubro alguma criança ou jovem buscando novidade.
Assim, completei minha jornada como jurada, transformada e renovada.
Ana Célia Goda
Editora


* Gisele Urano Professora e Especialista em LIJ.

Graduação em Letras pela PUC-MG. Pós-Graduação em Literatura Infantil e Juvenil pela PUC-MG. Foi leitora e orientadora na Secretaria da Educação do Estado de Minas Gerais para o projeto Cantinhos da Leitura e Bibliotecas públicas. Trabalhou como professora no colégio COTEMIG.

Foto: Arquivo pessoal

Foram dois meses incríveis. Muita leitura boa, que me fez viajar sem sair de casa. Que me fez chorar, me emocionou. Que me fez sorrir, até a barriga doer. Livros que me fizeram prender a respiração, até a última página. Histórias que me fizeram voltar a ser criança. Que me lembraram como era boa a adolescência. Histórias leves ou densas. Muita qualidade, acima de tudo. Eu só tenho a agradecer por esta experiência e dizer parabéns a todos os envolvidos.
Gisele Urano
Professora e Especialista em Literatura Infantil e Juvenil


Susana Ventura Autora, Mestra e Doutora em Literatura

Graduação, Mestrado e Doutorado em Letras pela USP. Trabalhou na Biblioteca Monteiro Lobato como resenhadora e no Programa Quem Lê Sabe Por Quê. Atua como crítica de literatura para crianças e jovens e foi selecionadora de acervo LIJ para o Programa +Cultura Minc e MEC. Presta serviços de consultoria para editoras.



Foto: Gabriela Silva


Fiquei muito feliz ao ser convidada para compor o Júri do Prêmio AEILIJ neste ano. Parece-me que o Prêmio vem se consolidando como um destaque no cenário brasileiro exatamente pela capacidade de acolher e ler com acuidade livros de todo o país, com atenção para a inovação e a qualidade, com a devida atenção ao trabalho de um coletivo de editores e artistas que, sabemos, não desfrutam da tranquilidade desejada para a criação e que, mesmo assim, vêm realizando obras notáveis. Eu, que vinha observando a seleção como pesquisadora e conhecendo os premiados da edição anterior, agora tive a honra de estar do lado de dentro do processo, que foi todo conduzido com cuidado e rigor. Longa vida à Associação dos Escritores e Ilustradores de Literatura Infantil e Juvenil e cada vez mais reconhecimento ao Prêmio AEILIJ!
Susana Ventura
Escritora e Doutora em Literatura






sábado, 18 de abril de 2020

Vencedores do III Prêmio AEILIJ de Literatura!

Neste sábado luminoso, em que comemoramos o Dia do Livro Infantil, temos a alegria de comunicar os três livros vencedores de nosso Prêmio deste ano!



Por Minha família Enauenê, Rita Carelli recebe o selo da 
borboleta na categoria Literatura Infantil (Editora FTD).

Por Motosblim, a incrível enfermaria de bicicletas, Marcelo Velasco vence na categoria Conjunto de Ilustrações (Editora Entrelinhas). 

Por Estou aqui se quiser me ver, Tânia Alexandre Martinelli é a 
vencedora na categoria Literatura Juvenil (Editora Moderna).


Parabéns aos três autores e aos seus editores!




quarta-feira, 15 de abril de 2020

Finalistas Prêmio AEILIJ - Literatura Juvenil (5)

E eis aqui o quinto finalista do III Prêmio AEILIJ em Literatura Juvenil...
Daqui a 3 dias revelaremos os 3 vencedores!

Vlado
Texto de Kuri / ilustrações de Pablo Borges
Editora Caleidoscópio

Livro bilíngue português-esloveno, em edição com projeto gráfico sofisticado e ilustrações em xilogravura, que escondem habilmente seu protagonista, Vlado, que será revelado ao longo da narrativa. Trama bem urdida sobre a vida de uma família que vive na Eslovênia e se encontra diante do dilema de quase todas as famílias a dado momento: ter ou não um animal de estimação, com todas as questões que a decisão envolve. Divertido e leve para os leitores que começam a se aventurar em narrativas de maior fôlego.

terça-feira, 14 de abril de 2020

Finalistas Prêmio AEILIJ - Literatura Juvenil (4)

Mais um finalista na categoria de livros para jovens! 

Traços
Texto e ilustrações de Liz Quintana
Editora Metamorfose

Vozes narrativas constroem, de diferentes perspectivas, o drama de uma família gaúcha de classe média que se vê diante de uma tragédia absolutamente inesperada. A compreensão dos anseios de jovens em busca de autonomia, amor e realizações, transparece na linguagem colada na realidade urbana com grande adesão, ora ao modo de expressão de adolescentes frequentadores do ensino médio, ora ao distanciamento de um narrador testemunha que, do futuro, conta parte dos acontecimentos. Excelente para leitores autônomos.

segunda-feira, 13 de abril de 2020

Finalistas Prêmio AEILIJ - Literatura Juvenil (3)

O terceiro finalista na categoria Literatura Juvenil, no Prêmio AEILIJ 2019, é...


A roda da vida
Texto de Manuel Filho
Panda Books

Romance que narra, com empatia, a história de vida de uma das crianças que foi deixada na “roda dos expostos”, recurso utilizado para que mães desesperadas, por não poderem ficar com seus bebês, pudessem deixá-los aos cuidados de instituições católicas, e que funcionou até a metade do século XX. O abandono inicial e as subsequentes dificuldades de um ancestral são descobertas e vivenciadas por uma família numa temporada de férias que se mostrará inesperada e plena de significados.

sábado, 11 de abril de 2020

Finalistas Prêmio AEILIJ - Literatura Juvenil (2)

Mais um belo livro para jovens, Finalista do III Prêmio AEILIJ de Literatura!
Estou aqui se quiser me ver
Texto de Tânia Alexandre Martinelli
Editora Moderna

Texto denso e preciso, que mergulha na vida de uma família de classe média alta vista pelo olhar de um adolescente de quinze anos. A ética na vida pública e nas relações humanas tem papel primordial nesta novela juvenil, que não foge a questões difíceis, numa linguagem que dialoga com as dinâmicas complexas do crescimento: do estabelecimento de relações afetivas às possibilidades diárias de diálogo entre pessoas de uma mesma família.
Livro que agradará em cheio a jovens leitores que já leem obras de maior fôlego.

sexta-feira, 10 de abril de 2020

Finalistas Prêmio AEILIJ - Literatura Juvenil (1)

E hoje iniciamos a postagem dos livros Finalistas na categoria Literatura Juvenil!
Caleidoscópio de vidas
Texto de João Anzanello Carrascoza / ilustrações de Adriano Catenzaro
Ed. FTD

Projeto gráfico ousado e uso de colagens para receber três narrativas que se passam em épocas diferentes numa mesma cidade, a do Rio de Janeiro. As personagens das diferentes narrativas estão ligadas pelo afeto e pela circunstância, em vivências de naturezas bem distintas, mas com a marca das lutas intensas pela sobrevivência. A linguagem é marcada pela poeticidade e aparece trabalhada de maneira distinta em cada uma das três partes, cada uma delas dedicada a uma das personagens. A ideia do caleidoscópio é trabalhada tanto na linguagem escrita quanto na expressão gráfica deste livro que, com certeza, emocionará leitores adolescentes com autonomia leitora e maturidade para os questionamentos sobre a complexa sociedade brasileira.


quinta-feira, 9 de abril de 2020

Prêmio AEILIJ de Literatura - HORS CONCOURS

Hoje apresentamos o livro que recebe a distinção "Hors Concours" na premiação deste ano... Obra de um dos nossos mais criativos escritores, e que, apostamos, ainda vai faturar muitos prêmios!

Trago na boca a memória do meu fim
Texto de Ricardo Azevedo
Editora Ática

Descrita e narrada de diante para detrás, parece ser a existência uma trama mui bem urdida e concertada, uma cadeia de acontecimentos povoada de tino, razão e siso onde tudo se encaixa. Vista, porém, de hoje avante para o depois, que ainda não veio mas virá, torna-se ela uma nebulosa vereda feita de inesperados sucessos, mistérios e sobressaltos” (Trago na boca a memória do meu fim, p. 175)

Trago na boca a memória de meu fim constrói o passado pela linguagem sem se desconectar do presente, em que leitores autônomos se empolgam ao acompanhar as aventuras de seu protagonista. Narrativa autobiográfica de um homem humilde que vive no Brasil Colônia e que revisita, num texto marcado pelas reviravoltas constantes, uma incrível jornada realizada quando era muito jovem. O narrador é um ‘desimportante’ da História, trazendo consigo uma das poucas vantagens dos invisíveis: serem de tudo testemunhas sem, no entanto, serem notados. Os leitores mais experientes escutam ecos de clássicos, de Dom Quixote a Macunaíma, o herói sem nenhum caráter; e os jovens se envolvem, talvez pela primeira vez, com um texto que já nasce clássico em sua premissa de que o Brasil contemporâneo espelha muito de seu passado.

quarta-feira, 8 de abril de 2020

Finalistas Prêmio AEILIJ - Conjunto de Ilustrações (5)

O quinto finalista do Prêmio AEILIJ, para Conjunto de Ilustrações, é uma delícia!


Cascudinho – O Peixe Contador de Histórias
Texto de José Bessa Freire / ilustrações de Luciana Grether
Editora do Brasil

Este livro narra uma semana na vida de um peixe bodó, apelidado de Cascudinho, por causa das escamas, duras e ásperas, que cobriam seu corpo. Cascudinho estudava na Escola do Igapó, no Amazonas, mas todo dia chegava tarde. Para justificar seus atrasos, inventava histórias mirabolantes que fascinavam seus colegas de classe, angariando a fama de mentiroso.
Luciana Grether, professora de Artes e Design em escolas e na PUC-Rio, escolheu representar as águas e os 61 peixes que protagonizam essa história, quase todos da Amazônia, de forma gráfica e em cores, inspirada nas gravuras da arte popular. É incrível como cada um deles ganha corpo, identidade e expressões únicas, atravessando a correnteza desta narrativa com muita personalidade.
Se uma história criada pela fantasia nos ajuda a compreender o que antes era incompreensível, se ela dá sentidos ao mundo, então ela é verdadeira.” (José Bessa Freire).

terça-feira, 7 de abril de 2020

Finalistas Prêmio AEILIJ - Conjunto de Ilustrações (4)

O livro de hoje é lindo demais e concorre ao prêmio de Conjunto de Ilustrações...

Motosblim – A Incrível Enfermaria de Bicicletas
Texto de Aclyse de Mattos/ ilustrações de Marcelo Velasco
Editora Entrelinhas

Motosblim conta uma história real inventada por dois meninos cuiabanos. Real, nas lembranças, e dourada pela imaginação do escritor e do ilustrador. O mundo acontece bem ali na rua, onde a turma brinca, joga bola, pedala. Mas não é qualquer rua, nem qualquer tempo. É o tempo mágico da infância em Cuiabá.
A figura central dessa lembrança é Névio Lotufo, personalidade ímpar, multifacetada e dedicada a consertar bicicletas na sua oficina Motosblim, onde também exibia filmes, e a consertar os carros antigos que ficavam estacionados pela cidade, outra alegria que Névio proporcionava à garotada.
Na rua 13 de junho se desenrola quase toda a ação: nela moram os personagens, por ela passa o mundo, ciclistas, misses e até o circo. Mas... os brinquedos, os projetores de cinema, os calhambeques de Névio e a bicicleta do menino também podem ser engolidos pela temível máquina do tempo. Eis o mistério que alimenta a narrativa.
O texto rimado, criado por Aclyse de Mattos, e as ilustrações de Marcelo Velasco, que reconstrói com talento, paixão e precisão os cenários inesquecíveis da Cuiabá dos anos 1960, nos colocam naquele tempo e lugar. E os personagens, às vezes representados com a cabeça grande, como na caricatura, trazem humor e apresentam detalhes de expressão facial e dos hábitos de cada uma deles.

A técnica utilizada para retratar tanto os cenários clássicos quanto os personagens em ação é a mesma: contorno preto, colorido com lápis de cor, garantindo uma visão ao mesmo tempo de época e de autoria infantil. É com esse ar vintage que Marcelo Velasco vem renovar a cena da ilustração infantojuvenil contemporânea.

segunda-feira, 6 de abril de 2020

Finalistas Prêmio AEILIJ: Conjunto de Ilustrações (3)

Nosso Finalista de hoje na categoria Conjunto de Ilustrações!



O Filho Querido de Olokun
Texto de Rogério Athayde / ilustrações de Clara Zúñiga
Pallas Editora

Esta fábula aqui recontada, da tradição oral iorubá, fala sobre a insatisfação humana. É a história de um pescador que desejava muito ser rico e vivia insatisfeito com a sua pobreza. Ele chamava sempre por Olokun, de quem era devoto. Olokun é o orixá associado à ancestralidade e ao mundo dos mortos, e das profundezas dos oceanos, onde tudo começa e termina. Olokun veio atender ao desejo do pescador, lhe entregando as riquezas do fundo do mar. Porém quando este homem se dá conta de que havia deixado para trás os seus maiores tesouros: uma vida simples e cheia de afetos, com mulher e filhos, ainda será possível voltar no tempo e resgatar o que foi perdido?
Clara Zúñiga, designer e artista plástica, escolheu o fundo preto – denso como o oceano –, para compor sua narrativa textual com canetinhas.

sábado, 4 de abril de 2020

Finalistas Prêmio AEILJ: Conjunto de Ilustrações (2)

Mais um livro Finalista na categoria Iustração!


Cadê o Livro que Estava Aqui?
Texto de Telma Guimarães / ilustrações de Jana Glatt
Editora FTD

Este livro é uma deliciosa parlenda, em letra bastão, indicada para pré-leitores em leitura compartilhada e para leitores iniciantes.
O ritmo da narrativa textual, aliado ao humor e ao dinamismo das ilustrações e dos personagens coloridos criados por Jana Glatt, levam o pequeno leitor a procurar em cada página dupla os bichos fujões. E também a descobrir onde o livro foi parar. Depois, como numa leitura em roda, é só recomeçar a brincadeira.
Jana entrou para o mundo da ilustração após uma temporada em Barcelona, na Espanha, onde cursou pós-graduação em ilustração. É muito observadora e gosta de esquadrinhar os tipos com que cruza enquanto caminha pelas ruas, para usá-los como inspiração para criar os biotipos e as expressões de seus personagens.

sexta-feira, 3 de abril de 2020

Finalistas Prêmio AEILJ: Conjunto de Ilustrações (1)

E eis um dos nossos mais votados na categoria Ilustração!


A Menina e a Planta
Texto de Marcia Paganini / ilustrações de Andréia Vieira
Editora Madrepérola

Mari passa por uma transformação inesperada: uma planta inquieta nasce no seu pé, próximo ao dedão. À medida que os dias passam, Mari vai perdendo a vontade de fazer as coisas que antes fazia com disposição e alegria, e recorre à mãe para ajudá-la.
A mãe também não entende o que se passa com a filha e, quando a trepadeira cresce a ponto de sufocar Mari, decide levá-la ao pediatra. Não é caso de tomar remédio. Para aprender a desembaraçar-se da planta, e a contê-la, Mari vai conversar com uma psicóloga.
A metáfora é um recurso eficiente e recorrente na literatura infantil para se tratar de sentimentos negativos ou de assuntos delicados. Nesta obra, a ilustração de Andréia Vieira, em técnica mista, nos coloca inicialmente no lugar da Mari. Ao virar a página, a perspectiva se amplia, e vemos a garota deitada, a trama em matelassê da coberta como a enredá-la na cama. Outras metáforas e elementos visuais agregam-se à narrativa textual para compor as cenas desta história sensível e bela, sobre autoconhecimento, transformação e renovação.

quinta-feira, 2 de abril de 2020

Finalistas do Prêmio AEILIJ em Literatura Infantil (5)

Encerramos hoje as postagens dos Finalistas de Literatura Infantil.
Mas amanhã começamos com os Finalistas de Conjunto de Ilustrações!
Não percam.
Festança
Texto de Edith Chacon / ilustrações de Fran Junqueira
Ed. Biruta

Que casal mais improvável, um tamanduá e uma formiga! Será que é amor? Na festa do tamanduá, tem borboleta, mariposa, pulga, cigarra, mas a formiga não apareceu por lá. Ela preferiu o samba no sauveiro, acompanhada do gafanhoto, do vagalume, até do cupim, que “arrasava no tamborim”. Mas sabe como é tamanduá, ficou triste e foi atrás da formiga, lá no sauveiro.
Um livro cheio de ritmo e rimas, que brinca com as palavras. A ilustração lembra desenhos feitos por crianças, um traço bem infantil. E que tal continuar a ler a história? “Será que ele aprendeu a sambar?”


quarta-feira, 1 de abril de 2020

Finalistas do Prêmio AEILIJ em Literatura Infantil (4)

E aí vem mais um finalista!

O Acordeão Vermelho
Texto de Kátia Gilaberte / ilustrações de Luciana Grether
Ed. Caleidoscópio

O rio é esse que leva e traz”… Kátia conta, em tom poético, a história da menina/ narradora que perde a mãe para a fúria das águas do rio, em uma tromba d'água. A mesma que leva a alegria do pai, anos depois traz a felicidade de volta. O acordeão, que antes era lamento, passa a tocar a alegria de um novo recomeço. Trabalha sentimentos como tristeza e felicidade, que são momentos efêmeros, sendo um belo aprendizado para as crianças.

O projeto gráfico em aquarela, com traços bem característicos da ilustradora Luciana Grether, nos traz tanto a fúria das águas, quanto sua delicadeza na calmaria. Também acompanha um CD com duas músicas, que nos conduzem à história.




terça-feira, 31 de março de 2020

Finalistas do Prêmio AEILIJ em Literatura Infantil (3)

Resenha nova para todos curtirem!


Minha Família Enauenê
Texto de Rita Carelli/ ilustrações de Anabella López
Ed. FTD


Eu vou contar a vocês como eu me tornei um menino e voltei a ser menina”, assim se inicia a história que se passa numa aldeia indígena, dos Enauenê-Nauê. A autora narra como foi sua experiência na tribo, as dificuldades com os novos costumes e os prazeres da convivência. Fala dos papéis de meninos e meninas, homens e mulheres, regras estabelecidas e que foram quebradas. É um conto muito rico, nos apresenta um olhar de estranheza, por conta das diferenças e, ao mesmo tempo, de admiração. O livro leva às nossas crianças a importância do respeito a culturas distintas. A narrativa é simples, em tom autobiográfico. O projeto gráfico de Anabella López é uma narrativa a mais para a história. Colorido, vibrante, uma viagem pela cultura indígena.


segunda-feira, 30 de março de 2020

Finalistas do prêmio AEILIJ em Literatura Infantil (2)

Mais um Finalista do III Prêmio AEILIJ em Literatura Infantil!



Deu Limerique na Casa do Bicho


Texto de Alexandre de Castro Gomes / Ilustrações de Cris Alhadeff
Ed. Cortez

O autor leva os pequenos leitores para um divertido passeio pela morada de diferentes bichos. Com poemas curtos, em limeriques – onde primeiro, segundo e quinto versos têm rimas iguais e terceiro e quarto trazem rimas diferentes e versos mais curtos – temos um jogo de palavras gostoso, somado a um projeto gráfico atraente aos pequenos leitores. O resultado alcançado, apesar de simples, tem toda uma dificuldade em sua execução e ficou perfeito. Fez uso de palavras que acrescentam o vocabulário dos pequenos, o que é muito interessante. É um livro que faz o imaginário viajar; afinal, quantos livros há na biblioteca do Caracol?

sábado, 28 de março de 2020

RESENHAS: Finalistas do prêmio AEILIJ em Literatura Infantil (1)

Iniciamos hoje a postagem de uma série de resenhas. Nossos livros finalistas são ótimos!



Ora Bolas
Texto de e ilustrações de Paula Taitelbaum
Editora Piu

Há bolinhas, bolitas, bolotas e bolões”, assim começa o texto poético de Paula Taitelbaum.
Um livro lúdico, desde o texto até o projeto gráfico. Bonito de se ver, gostoso de se ler. Paula brinca com a bola, que pode ser muita coisa: nariz de palhaço, planeta, ervilha, botão, etc. Mas ela nos propõe uma charada: qual será esta bola que nos faz iguais?
Seu texto tem ritmo e rimas bem elaborados e isto o torna atraente aos pequenos leitores.


Entrega dos Prêmios e AGO